NOTÍCIAS
compartilhar este link
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
08/12/2017
Fundecitrus anuncia bioinseticida contra vetor do greening

Fundecitrus - 08/12/2017 - Produto foi anunciado durante evento dos 40 anos da instituição

O Fundecitrus anunciou o primeiro bioinseticida para controle do vetor do greening. O produto é o agente de controle do psilídeo Diaphorina citri, vetor das bactérias causadoras do greening.

A pesquisa conduzida durante sete anos pelo prof. Dr. Italo Delalibera Jr da ESALQ-USP resultou na seleção do fungo entomopatogênico Isaria fumosorosea. “É uma grande conquista. É o primeiro produto biológico a base de Isaria fumosorosea no Brasil e existem poucos no mundo. É uma ferramenta com grande potencial que vem contribuir muito com o setor da citricultura” analisa o pesquisador.

O psilídeo quando suga a seiva de uma planta doente para se alimentar, serve como transmissor da bactéria causadora da doença, propagando o greening nas lavouras. A atuação do fungo é realizada através do contato direto com seu alvo. Os conídios do fungo entompatogênico, após a pulverização são depositados sobre o alvo, aderindo ao tegumento do inseto, iniciam seu processo de germinação produzindo um complexo de enzimas que atuam na degradação do tegumento do inseto, permitindo com que o fungo penetre em seu hospedeiro. Uma vez no interior do inseto o fungo continua seu processo de desenvolvimento onde também continua a liberação de enzimas e metabólitos que levam o inseto a morte. Tanto ninfas quanto adultos são susceptíveis.

A pesquisa é uma parceria da Escola Superior de Agricultura “Luís de Queiroz” (ESALQ-USP), do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), e da Koppert, empresa de Controle Biológico e polinização natural.

O produto já está registrado no Ministério da Agricultura com o nome comercial de Challenger. Por se tratar de um produto biológico não deixa resíduos e nem necessita de tempo de carência, pois o ingrediente ativo, o fungo Isaria fumosorosea não é acumulativo em folhas e frutos.