NOTÍCIAS
compartilhar este link
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
As gigantes fazem suas apostas

09/08/2016 12:29:03
A problemática fila da Anvisa

25/07/2016 12:44:28
Vem aí o suco expresso?

19/07/2016 14:17:06
O vale dourado da Sun Pacific

11/07/2016 16:30:25
13/06/2018
Chile avalia danos de geada aos pomares de citros

Fresh Plaza - 13/06/2018 - Baixas temperaturas afetaram propriedades que produzem citros voltados para exportação

A Associação dos Exportadores de Frutas do Chile (ASOEX) está avaliando as medidas que deverão ser tomadas pelos produtores de citros que sofreram perdas diante das geadas que aconteceram nos últimos dias. Ainda é muito cedo para estimar o dano na fruta, já que o dano interno só se manifesta 10 dias após a geada. "No campo, avaliações de danos serão realizadas exaustivamente em todos os pomares em risco até que tenhamos certeza de que a fruta para exportação não apresentará nenhum dano", enfatizou Juan Enrique Ortuzar, presidente do Comitê Citrus. Juntos, os associados da entidade representam 75% dos exportadores de cítricos do Chile. 

As geadas não afetaram todas as áreas, nem todos os pomares cítricos. De fato, um pomar pode ter setores afetados e outras áreas que não tenham danos. "Atualmente, a maioria dos pomares está localizada em lugares mais protegidos do frio dentro dos vales. Houve uma mudança na forma como produzimos os citros, já que os produtores cultivaram culturas mais tolerantes ao frio nos setores mais baixos. dos vales, onde a geada afeta as culturas mais intensamente ", acrescentou Ortuzar.

Segundo a Diretoria de Meteorologia do Chile, durante a semana 22, temperaturas mínimas abaixo de -2,0 ° C foram registradas nas regiões de Valparaíso, Metropolitana e O'Higgins. Os danos causados ​​pela geada dependem da temperatura mínima, do tempo de exposição a essa temperatura, da espécie, da variedade e do estado de maturação da fruta; assim, as equipes técnicas de cada exportador devem avaliar cuidadosamente o dano potencial em cada pomar e interromper sua colheita até determinar a incidência de danos na fruta.

Estado da colheita

Até agora, as colheitas avançaram da seguinte forma: avanço de 35% em limões, avanço de 55% em clementinas e avanço de 10% em laranjas de umbigo, que apresentam um bom nível de açúcar, o que permite que os frutos resistam melhor a baixas temperaturas. A colheita dos mandarins tardios não começou.

O Comitê Citrus da ASOEX desenvolveu um manual de ação contra a geada para que produtores e exportadores ajam juntos, seguindo um plano de trabalho preciso e disciplinado para evitar que as frutas que serão exportadas sejam danificadas por baixas temperaturas. Essas ações incluem a instalação de termógrafos nos pomares e a suspensão temporária das lavouras nos pomares afetados, até que a fruta seja checada para confirmar se ela atende aos requisitos de exportação correspondentes. Estas medidas já foram aplicadas em episódios semelhantes que ocorreram em épocas anteriores, com resultados muito bons.

O Comitê espera ter mais informações sobre os possíveis danos causados ​​pela geada nas próximas duas semanas, uma vez que as avaliações tenham sido feitas em cada pomar; qualquer redução nos volumes de exportação será reportada em tempo hábil.