NOTÍCIAS
compartilhar este link
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
31/05/2019
México planeja estratégias fitossanitárias no setor cítrico

Fresh Plaza - 31/05/2019 - Aos cuidados do Serviço Nacional de Saúde, Qualidade e Segurança Agroalimentar, campanha no México terá o objetivo de combater pragas em pomares


A produção de citros no setor mexicano é considerada importante na produção agrícola do país. O México possui cerca de 589 mil hectares de laranjas, limões, tangerinas e grapefruit em 24 estados, que produzem 8,25 milhões de toneladas de produtos cítricos.

Devido à importância do setor de frutas cítricas do México, o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (SADER), destinou uma quantia qualitativa para a campanha contra as pragas que afetam atualmente as culturas cítricas do país. Esta estratégia fitossanitária será implementada em alguns estados, são eles, Baixa Califórnia, Baixa Califórnia do Sul, Campeche, Chiapas, Colima, Guerreiro, Hidalgo, Jalisco, entre outros.

A campanha terá os cuidados do Serviço Nacional de Saúde, Qualidade e Segurança Agroalimentar (SENASICA), eles estarão concentrados no combate as principais pragas, como o Huanglonbing (HLB), Candidatus liberibacter asiaticus, Leprose dos citros, Tristeza dos citros, mosca marrom, conhecida como Aleurocathus woglumi. O Senasica esclareceu que o objetivo é reduzir os níveis de infestação do Psílideo (Diaphorina Citri), o vetor que transmite a bactéria Candidatus liberibacter que produz o Huanglonbing (HLB).

O objetivo desta campanha é sensibilizar os produtores citrícolas a se envolverem nas atividades de exploração, monitoramento, amostragem, diagnóstico, controle químico e biológico, por meio de comitês estaduais e conselhos fitossanitários locais em suas regiões, em coordenação com os governos estaduais. A ideia é sensibilizar os produtores citrícolas a se envolverem nas atividades de exploração, monitoramento, amostragem, diagnóstico, controle químico e biológico, por meio de comitês estaduais e conselhos fitossanitários locais em suas regiões, em coordenação com os governos estaduais.