NOTÍCIAS
compartilhar este link
Notícias pelo mundo

06/12/2019 16:45:44
Notícias pelo mundo

29/11/2019 16:49:04
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
NOTA: CitrusBR e o Consecitrus

22/09/2017 16:11:36
O HLB é a bola da vez

17/02/2017 11:31:41
14/06/2019
Marrocos cria Rede de Vigilância de Pragas

Fresh Plaza - 14/06/2019 - Houve um recuo no volume de exportações de citros do país devido às reduções de produtividade causadas pelos danos da mosca da fruta do Mediterrâneo


O contínuo crescimento e sucesso da indústria cítrica marroquina tem sido ameaçado pela presença de uma espécie de praga: a mosca da fruta do Mediterrâneo. Isso não é uma coisa pequena, já que o cultivo e exportação de cítricos desempenha um papel significativo na economia de Marrocos, a região emprega mais de 13.000 agricultores e trabalhadores agrícolas e produz exportações de US $ 300 milhões por ano.

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), em cooperação com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), auxiliou Marrocos a alcançar sua primeira vitória na campanha em curso para suprimir os mosquitos. As contrapartes marroquinas receberam, sob um projeto técnico da AIEA, o treinamento e equipamentos necessários para detectar e responder a qualquer incursão de outras pragas, que é um pré-requisito para a supressão sustentada da mosca do Mediterrâneo usando a técnica de insetos estéreis (SIT), técnica essa que pode levar à supressão ou eliminação de pragas de insetos.

Houve um recuo no volume de exportações de citros do país devido às reduções de produtividade causadas pelos danos diretos à fruta e ao aumento dos custos de produção associados ao uso de inseticidas e tratamentos pós-colheita, necessário para as exportações de frutas.

Além disso, os agricultores viram perdas indiretas devido a restrições de quarentena impostas pelos países importadores. Ao mesmo tempo, a União Europeia, que tem sido o principal mercado de exportação tradicional de frutas cítricas marroquinas, tem reduzido cada vez mais os níveis aceitáveis de resíduos de pesticidas em frutas e legumes, devido a preocupações com a segurança alimentar.