NOTÍCIAS
compartilhar este link
Marketing de US$ 5 milhões

07/07/2020 10:01:25
Tarifa abre disputa na Espanha

26/06/2020 10:10:33
Greening assusta Califórnia

11/02/2020 10:36:02
Bem vindo, suco de laranja

10/02/2020 10:54:48
Limão azedo na Argentina

29/01/2020 14:41:02
Notícias pelo mundo

13/12/2019 16:40:13
Notícias pelo mundo

06/12/2019 16:45:44
Notícias pelo mundo

29/11/2019 16:49:04
Clima favorece pomares

08/02/2019 11:36:47
Greening perto de zero

21/05/2018 11:12:28
10/07/2019
Acordo comercial pode favorecer o mercado de suco

Notícias Agrícolas - 10/07/2019 - Perspectiva é de que as grandes indústrias brasileiras de suco adotem estratégias para ampliar a competitividade no mercado europeu


O acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia, aprovado no fim de junho, deve beneficiar as exportações de produtos agrícolas brasileiros, incluindo citros e suco de laranja. Com a isenção gradual de tarifas para comercialização entre os países pertencentes aos blocos, a perspectiva é de que as grandes indústrias brasileiras de suco adotem estratégias para ampliar a competitividade no mercado europeu (maior consumidor da commodity). Vale destacar, contudo, que o acordo comercial ainda precisa ser ratificado pelo parlamento dos países membros de ambos os blocos.

Conforme a CitrusBR (Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos), atualmente, as tarifas médias para a entrada do suco de laranja brasileiro no mercado europeu variam de 12% a 15% dependendo do produto. O novo acordo, por sua vez, prevê alterações que podem chegar a zero em até 10 anos (a partir da entrada em vigor).

Na safra 2017/18 (de julho/17 a junho/18), 60% da receita com as exportações brasileiras de suco de laranja correspondeu aos envios à União Europeia, segundo dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior), o equivalente a US$ 1,3 bilhão. Desse valor, mais de US$ 160 milhões são referentes a tarifas.

O acordo, portanto, poderia favorecer a participação e a competitividade do suco de laranja brasileiro no bloco, especialmente frente ao México, principal concorrente do Brasil e que já não tem tarifas nos envios à UE, segundo a CitrusBR. Ainda que a produção de suco do México seja equivalente a menos de 20% do total produzido pelo Brasil, o país concorrente está avançando nas exportações mundiais da commodity.

REFLEXOS – A redução gradual das tarifas sobre o suco de laranja brasileiro na Europa pode compensar, em parte, a perda da competitividade da commodity em relação a outros tipos de sucos e bebidas no bloco. A possível redução dos custos tarifários para os importadores pode estimular o uso do suco de laranja em blends e o lançamento de novas bebidas à base de laranja.

A tendência de queda do consumo de suco de laranja na Europa tem prejudicado a cadeia de suprimento do Brasil. Assim, uma redução no custo do suco concentrado de laranja por parte dos engarrafadores pode, portanto, revitalizar o uso dessa matéria-prima na indústria de sucos de frutas.