NOTÍCIAS
DO MERCADO
compartilhar este link
O pior inimigo do greening

04/02/2020 14:55:16
Britânicas anunciam fusão

11/06/2015 16:51:29
Pode ser Pepsi na NBA?

24/04/2015 16:52:15
H2Coco lança mix com café

17/04/2015 12:55:19
Starbucks aposta em delivery

24/03/2015 11:49:58
Imposto tira gás da FEMSA

16/12/2014 15:33:52
Vita Coco quer reinar na China

20/10/2014 18:19:05
MacTangerina no cardápio

02/10/2014 14:29:13
Exportações barradas

02/07/2014 11:44:03
Rótulos da discórdia

26/06/2014 11:19:54
De olho na dieta britânica

25/06/2014 11:19:54
Nova Coca-cola chega à Europa

11/06/2014 10:54:40
Ampliando mercado

23/05/2014 10:44:00
A batalha do açúcar

07/05/2014 18:07:00
Aguá pra inglês beber

06/05/2014 12:15:00
Salvação na embalagem

16/04/2014 12:11:00
O novo energético da Coca

04/04/2014 11:21:00
TV desligada

26/03/2014 15:21:00
Laranja fora da TV

18/03/2014 12:18:00
O futuro dos energéticos

13/03/2014 17:11:00
Pepsi em cápsulas

11/03/2014 13:35:00
Pepsi aposta no México

27/01/2014 13:47:00
De olho na caxinha

24/01/2014 16:43:00
Vendas não reagem nos EUA

19/12/2013 17:12:00
Dubai sem sede

18/10/2013 12:00:00
Mapa do varejo

23/09/2013 14:48:00
Suco tenta reagir nos EUA

17/09/2013 14:02:00
Suco aposta na TV

12/09/2013 12:29:00
Laranjas da África

09/09/2013 15:01:00
Monster quer entrar na Índia

15/08/2013 16:34:00
Frutas perdem espaço

25/07/2013 11:57:00
Tropicana de cara nova

14/06/2013 10:29:00
Nova York contra os sucos

04/06/2013 12:23:00
Purity mostra suas armas

06/05/2013 12:20:00
Portas abertas para a Turquia

26/04/2013 10:39:00
Investimentos à francesa

24/04/2013 11:48:00
Xenergy vai a luta

23/04/2013 12:31:00
Maçã no vermelho

23/04/2013 11:41:00
Surge mais uma gigante

22/04/2013 14:54:00
O que a Arábia quer beber

15/04/2013 16:44:00
Lucros monstruosos

12/04/2013 15:25:00
De roupa nova

25/03/2013 13:00:00
Água no refrigerante

18/03/2013 12:31:00
As bolhas da Honest Tea

13/03/2013 11:49:00
Monster made in Japan

31/01/2013 12:39:00
Sinal verde do CADE

04/01/2013 10:42:00
Surge mais uma gigante

Após fusão, presidentes da Refresco e da Gerber reforçam aposta em multisabores

A fusão entre a britânica Gerber Emig e a holandesa Refresco, duas das maiores envasadoras européias de suco de frutas e bebidas não alcoólicas em geral, deu origem a uma gigante que será líder no ranking desse setor. As vendas da Refresco, cuja participação na nova companhia será de 70% giram em torno de 1,5 bilhão de Euros, enquanto a Gerber, que terá 30%, possui vendas de 800 milhões de euros. Em entrevista ao portal FoodNews, o CEO da Gerber-Emig, Andrew Biles e o CEO da Refresco, Hans Roelofs falam sobre o acordo e as tendências e desafios desse setor.

FOODNEWS: A fusão parece ser uma grande chance para inovar. Vocês têm algo já planejado a respeito?

Hans Roelofs: Sentimos que as exigências e demandas dos consumidores estão aumentando e, paralelamente a isto é preciso pensar sobre acesso a capital para investimentos.

Andrew Biles: Todos que atuam com marcas do varejo e contratos de envase tem de estar sempre atentos. Os consumidores são versáteis - eles querem novas embalagens, novos sabores e sensações. Você precisa manter o ritimo. Esta fusão vai propiciar uma gama de embalagens mais ampla e expansão geográfica. Nenhuma empresa pode achar que reina absoluta, por isso temos o objetivo de expandir também nosso portfólio de produtos.

FN: No momento ambas as empresas parecem estar muito concentradas na Europa. Vocês têm planos de expansão para outros mercados?

Roelofs: Atualmente, Gerber-Emig atua no Reino Unido, Alemanha, Polônia e França e, Refresco atua na Holanda, Alemanha, Península Ibérica, Itália, Reino Unido, Polônia e Finlândia, então estamos bem representados na Europa. Depois da fusão, teremos 30 fábricas em 9 países.

Sobre novos mercados, precisamos estar em países em que marcas de varejo sejam fortes e estejam em crescimento. Se entrarmos em algum novo mercado, é porque as marcas de varejo estão crescendo por lá. A Polônia é um exemplo disso - a participação das marcas de varejo tem se tornado muito maior nos últimos cinco anos. Eu não diria que não entraremos em algum mercado, mas quando acontecer, é porque as marcas de varejo tem uma vida naquele país.

Biles: Seguiremos nossos clientes, sempre focando em suas necessidades.
,
FN: Podemos observar o crescimento de algumas categorias na indústria de bebidas não-alcoólicas, especialmente as bebidas lácteas com suco de frutas. O que vocês acham destas categorias? Quais são as mais promissoras? Roelofs: No passado, todos diriam que sucos e refrigerantes eram categorias muito diferentes. Mas, na última década e especialmente nos últimos anos, ocorreu uma grande fusão e uma série de novos produtos foi lançada. Vemos uma enorme oportunidade no ponto entre-categorias - as pessoas estão cada vez mais interessadas em soja com suco, leite com suco, iogurte com suco, só para mencionar alguns exemplos.

Biles: Eu diria que estamos caminhando para nos tornarmos especialistas em envase de qualquer líquido, ao invés de sucos e refrigerantes somente. Estamos desenvolvimento nossas especialidades voltadas principalmente à prestação de serviços.

FN: Qual sua opinião sobre a queda de consumo do suco puro, do suco 100%?

Biles: O consumo de suco 100% caiu não apenas na União Européia, mas também em mercados como os Estados Unidos. Os consumidores não estão mais escolhendo suas bebidas em função dos nutrientes, mas para se refrescar. Eles querem a conveniência de beber em trânsito. Temos que fornecer o que o consumidor quer.

Outro ponto é que nem todo o consumo de sucos está caindo. O setor de NFC, por exemplo, está crescendo nos Estados Unidos. Se você olhar para o que empresas como Innocent e Tropicana estão fazendo com seus produtos à base de NFC - especialmente no Reino Unido, eles têm obtido muito sucesso. Quando aos sucos reconstituídos, penso que a tendência é irmos na direção dos blends e bebidas multifrutas.

Nosso objetivo é atender os consumidores com várias opções de bebidas não-alcoólicas. Sim, veremos produtos se tornando mais populares de tempos em tempos, então não prestaremos atenção somente em sucos de frutas. Daremos atenção a todo nosso portfólio para identificar qual produto funciona melhor. Você precisa antever o mercado para saber o que oferecer ao consumidor. De qualquer modo, sucos continuarão a ser populares junto ao consumidor.

FN: Com impostos sobre refrigerantes, esforços para limitar o tamanho das porções à venda e outras ações que visam a restrição da demanda, a indústria de bebidas não-alcoólicas está enfrentando alguns desafios no momento. Quais são os principais desafios que o setor tem de enfrentar?

Roelofs : Eu diria que atualmente o principal desafio que enfrentamos é a crise financeira na Europa. Os consumidores estão reconsiderando em que produtos gastar seu dinheiro.

Biles: Nosso foco principal continuará a ser as marcas do varejo e contratos de prestação de serviço para clientes com marcas próprias. Alterações na demanda com diferentes formatos e misturas podem trazer complexidade à cadeia de suprimentos. Nosso desafio é administrar esta complexidade e transformá-la em oportunidades.

FN: Ouvimos muito sobre "super-alimentos", muitos deles sendo importados de grandes agro-exportadores como o Peru. Qual sua opinião sobre esta categoria?

Roelofs : Sempre analisamos o pedido dos clientes - o que é o produto, onde podemos encontrá-lo e se podemos adquiri-lo em algum outro lugar? É sempre importante ter uma base de fornecimento diversificada. Nós também procuramos por alternativas. Se um cliente tem uma receita e achamos que há boas alternativas, nós a traremos para a mesa - mas é claro, a vontade do cliente irá sempre prevalecer.

Biles: Penso que parte do apelo destes ingredientes está relacionado ao entusiasmo que a bebida vende. Há também o anúncio de um número de benefícios à saúde, mas é importante lembrarmos que, neste quesito, sucos de frutas já são considerados uma das porções do Five a Day.

FN: Água de Coco é um dos novos produtos que se tornaram populares, porém teve uma recepção bastante morna até agora. Qual sua opinião? Roelofs: Não vemos esta explosão de novos produtos em nenhum outro mercado, não no continente. Parece ser uma tentativa específica de se lançar este tipo de produto no Reino Unido.

Biles: Há alguns sabores incomuns no mercado, mas grandes volumes deste produto estão sendo vendidos nos Estados Unidos. A demanda está lá.

Roelofs : é muito importante frisar que você não consegue vender algo se não existir demanda.

FN: Recentemente ocorreram algumas fusões e aquisições na indústria de bebidas não-alcoólicas Européia, por exemplo a fusão entre Barr e Britivic. Isto é um sintoma de alguma mudança em curso? Roelofs : Eu não diria que é um sintoma mas você poderia analisar o fato de que a indústria de bebidas não alcoólicas ainda é muito fragmentada. No varejo, temos por volta de quatro a cinco empresas por país e ainda há poucas empresas atuando em indústrias como a do açúcar e suco de laranja, por exemplo. Então, tanto a base de clientes como a base de fornecedores é muito concentrada.

Fonte: agra-net.com

Leia o anuncio oficial da fusão

Fusão de Gerber Emig e Refresco

Razões da Fusão
 A fusão entre Gerber Emig e Refresco resultará na criação da maior envasadora de bebidas não-alcóolicas e de sucos de frutas da Europa com o objetivo de atender às demandas de varejistas e de proprietários de marcas nacionais.

 A fusão criará uma proposta de negócios sólida e convincente para clientes com necessidades e demandas crescentes, que poderão se beneficiar de uma significante atuação em todas as principais categorias de bebidas não-alcoólicas na Europa, de um mix de produção e de embalagens mais amplo e de melhores oportunidades ao longo de toda a cadeia de suprimento.

 Atuando em conjunto, Gerber Emig e Refresco terão grandes oportunidades para investir em inovação, alcançar metas de crescimento e melhorar os resultados de seus negócios.

Uma das fabricas da holandesa Refresco

Pontos de Destaque

 O acionista fundador da Gerber Emig e os acionistas da Refresco estão integralmente comprometidos com a fusão e com a união do melhor de ambas as empresas com o objetivo de construir um modelo de negócio sustentável a longo prazo.

 O novo nome corporativo do grupo será Refresco-Gerber, um nome que reflete o espírito desta fusão construída com base nos pontos fortes de ambas as empresas.  No novo grupo que se cria a partir da fusão, 30% das ações caberá os acionistas da Gerber Emig e 70% aos acionistas da Refresco.

Rotterdam (Holanda) / Bridgwater (Reino Unido), 16 de Abril de 2013 - Os acionistas das empresas Gerber Emig e Refresco têm a satisfação de anunciar que hoje foi assinado o acordo contratual que, ainda sujeito à aprovação dos órgãos de defesa da concorrência, conduzirá à fusão de ambas as empresas.

A fusão criará uma proposta de negócios sólida e convincente para clientes que vão se beneficiar de ganhos de escala, de uniformidade e qualidade de serviços em vários países e de um amplo portfólio de bebidas não-alcoólicas em diversos mercados. A combinação das cadeias de suprimento de ambas as empresas será muito bem posicionada com o objetivo de satisfazer as necessidades e exigências dos clientes em um ambiente de constantes mudanças.

Andrew Biles, CEO da Gerber Emig disse: "Gerber Emig e Refresco são indústrias altamente conceituadas, com conhecimentos e expertises, geografias, produtos e tecnologias que se complementam. O novo grupo será uma combinação lógica para a Gerber Emig, com o envolvimento de todos, proporcionar maior escala e maior capacidade de gerar inovações na indústra de bebidas. Estou ansioso para fazer o melhor com as oportunidades que serão proporcionadas por fazer parte de um grande e mais amplo grupo Europeu."

Hans Roelofs, CEO da Refresco disse: "Estamos entusiasmados com a combinação de forças entre Refresco e Gerber Emig. Atuando como uma única empresa, Refresco e Gerber Emig estarão melhor posicionadas para suportar o crescimento internacional de seus clientes e para abordar as oportunidades e desafios da indústria de bebidas. Compartilhando as melhores práticas e inovações, a nova empresa vai unir os melhores talentos e capacidades de ambos os negócios, vai oferecer mais opções, aproximação e acesso a diferentes mercados."

Complexo industrial da Gerber


Administração e estrutura da nova empresa A fusão prevista será executada por meio de um novo Grupo com o acionista fundador da Gerber Emig e os acionistas da Refrescos mantendo suas participações acionárias.

Todos estão integralmente comprometidos com a fusão e com a união do melhor de ambas as empresas com o objetivo de construir um modelo de negócio sustentável a longo-prazo e que está totalmente preparado para tirar proveito do crescimento contínuo das marcas do varejo no mercado Europeu.

A nova empresa vai se beneficiar da continuidade das equipes de administração sênior da Gerber Emig e da Refresco. Após a conclusão, Hans Roelofs será nomeado CEO e Andrew J. Biles fará parte da nova equipe de administração do novo grupo, que terá escritório central em Rotterdam. A composição do conselho fiscal refletirá a nova participação acionária.

Fusão cria uma gigante do setor

Condições a serem respeitadas e próximos passos
A fusão está sujeita à aprovação dos órgãos de defesa da concorrência e a expectativa é de que esteja concluída antes do final do verão de 2013. Até a conclusão do processo, ambas as empresas continuam a operar de maneira independente. A integração em uma única estrutura corporativa será iniciada após a conclusão do processo de fusão.

Gerber Emig foi assessorada por N M Rothschild e Refresco foi assessorada por ABN AMRO.

Multisabores são aposta das empresas pós fusão


Notas Sobre Gerber Emig
Gerber Emig é uma expressiva envasadora Europeía com foco no mercado de sucos e refrescos. Traçando sua história de volta a 1919, a produção de marcas do varejo é complementada por contratos de processamento para clientes com marcas próprias. A empresa processa cerca de 1.5 bilhões de litros e tem receitas de EUR 801 million. Gerber Emig opera fábricas no Reino Unido, França, Alemanha e Polônia, tem sede em Bridgwater, Reino Unido, e emprega cerca de 1700 pessoas. www.gerberemig.com

Sobre Refresco
Fundada em 2000, Refresco é empresa líder no mercado de bebidas não-alcoólicas e sucos de frutas para varejistas e clientes com marca própria, com produção nos países que formam o Benelux, França, Alemanha, Península Ibérica, Itália, Reino Unido, Polônia e Finlândia. A empresa processa cerca de 5 bilhões de litros e tem receitas de EUR 1.5 bilhões. Refresco oferece uma vasta opção de combinação entre produtos e embalagens, desde sucos 100% até refrigerantes e águas minerais, seja em embalagens longa-vida, PET, PET asséptico, latas e garrafas de vidro. A empresa é sediada em Rotterdam, Holanda, e emprega cerca de 3000 pessoas. www.refresco.com