NOTÍCIAS
DO MERCADO
compartilhar este link
O pior inimigo do greening

04/02/2020 14:55:16
Britânicas anunciam fusão

11/06/2015 16:51:29
Pode ser Pepsi na NBA?

24/04/2015 16:52:15
H2Coco lança mix com café

17/04/2015 12:55:19
Starbucks aposta em delivery

24/03/2015 11:49:58
Imposto tira gás da FEMSA

16/12/2014 15:33:52
Vita Coco quer reinar na China

20/10/2014 18:19:05
MacTangerina no cardápio

02/10/2014 14:29:13
Exportações barradas

02/07/2014 11:44:03
Rótulos da discórdia

26/06/2014 11:19:54
De olho na dieta britânica

25/06/2014 11:19:54
Nova Coca-cola chega à Europa

11/06/2014 10:54:40
Ampliando mercado

23/05/2014 10:44:00
A batalha do açúcar

07/05/2014 18:07:00
Aguá pra inglês beber

06/05/2014 12:15:00
Salvação na embalagem

16/04/2014 12:11:00
O novo energético da Coca

04/04/2014 11:21:00
TV desligada

26/03/2014 15:21:00
Laranja fora da TV

18/03/2014 12:18:00
O futuro dos energéticos

13/03/2014 17:11:00
Pepsi em cápsulas

11/03/2014 13:35:00
Pepsi aposta no México

27/01/2014 13:47:00
De olho na caxinha

24/01/2014 16:43:00
Vendas não reagem nos EUA

19/12/2013 17:12:00
Dubai sem sede

18/10/2013 12:00:00
Mapa do varejo

23/09/2013 14:48:00
Suco tenta reagir nos EUA

17/09/2013 14:02:00
Suco aposta na TV

12/09/2013 12:29:00
Laranjas da África

09/09/2013 15:01:00
Monster quer entrar na Índia

15/08/2013 16:34:00
Frutas perdem espaço

25/07/2013 11:57:00
Tropicana de cara nova

14/06/2013 10:29:00
Nova York contra os sucos

04/06/2013 12:23:00
Purity mostra suas armas

06/05/2013 12:20:00
Portas abertas para a Turquia

26/04/2013 10:39:00
Investimentos à francesa

24/04/2013 11:48:00
Xenergy vai a luta

23/04/2013 12:31:00
Maçã no vermelho

23/04/2013 11:41:00
Surge mais uma gigante

22/04/2013 14:54:00
O que a Arábia quer beber

15/04/2013 16:44:00
Lucros monstruosos

12/04/2013 15:25:00
De roupa nova

25/03/2013 13:00:00
Água no refrigerante

18/03/2013 12:31:00
As bolhas da Honest Tea

13/03/2013 11:49:00
Monster made in Japan

31/01/2013 12:39:00
Sinal verde do CADE

04/01/2013 10:42:00
Suco tenta reagir nos EUA

CitrusBR Consumo de suco de laranja nos EUA registra alta de 1,9% em agosto. Mas patamares baixos ainda dificultam uma recuperação

Depois de registrar o menor patamar dos últimos 12 anos, o consumo de suco de laranja no mercado americano apresentou um leve crescimento. De acordo com dados da Nielsen, divulgados pelo Departamento de Citrus da Flórida, as vendas da bebida no varejo americano no período de quatro semanas terminadas em 31 de agosto, aumentaram para 39,4 milhões de galões, incremento de 1,9% em relação ao período de quatro semanas anterior. Embora seja positivo, o crescimento ainda é considerado pequeno para indicar uma recuperação no consumo. "'Um aumento de 2% é bem marginal, mas já é algo', analisa o presidente da corretora Liberty Trading Group, James Cordier. "Eu não acredito que essa elevação na demanda fará muito' para impulsionar os contratos futuros na Bolsa", completou.

Foi a primeira vez que as vendas de suco de laranja subiram na base de quatro semanas desde o período encerrado em 19 de janeiro, quando estava em curso a época de maior propensão a gripes no Hemisfério Norte.

Para se ter ideia, no relatório passado, para as quatro semanas encerradas em 3 de agosto, foi vendido o menor volume de suco de laranja desde janeiro de 2002, dados mais antigos da base de consulta da Flórida. Nesse período, o consumo recuou 3,3%, apesar de um declínio de 2,5% no preço médio em comparação com o mesmo período em 2012. Tal queda reflete um resultado incomum. Segundo regras econômicas, a diminuição de preço normalmente é seguida de aumento de consumo. É o que se chama de elasticidade de preços.

Para a temporada 2012/13 as vendas caíram 0,6%, enquanto o preço médio do suco no varejo manteve-se estável em US$ 6,21 por galão (3,8 litros). Segundo os dados, nas últimas 12 temporadas essa é a 11ª com queda consecutiva. Ao longo desse período, as vendas de suco de laranja por galão já caíram 36%.

Para tentar reverter esse cenário, o FDOC anunciou o investimento de US$ 11,6 milhões numa nova campanha de TV. A ideia é atingir um novo público-alvo, entre 18 a 40 anos, que consomem bebidas fora de suas casas. "Queremos mostrar que os beneficio do suco de laranja não precisam ficar restrito aos café da manhã", explica a vice-diretora de marketing da FDOC, Leigh Killeen.


Os comerciais serão exibidos em spots de 15 e 30 segundos, na rede de TV a cabo, de outubro a março. A entidade também tem US$ 1,8 milhão em reserva para ser investido caso a safra 2012/13 mantenha-se na base das estimativas atuais. A estimativa do Departamento é investir US$ 27,3 milhões em ações de marketings em multiplataformas como TV e internet, incluindo anúncios projetados exclusivamente para tablets e smartphones. Isso representa um aumento de 20% da verba destinada a marketing digital na comparação com anos anteriores.


Com informações da Agência Estado e jornal The Legder