NOTÍCIAS
DO MERCADO
compartilhar este link
O pior inimigo do greening

04/02/2020 14:55:16
Britânicas anunciam fusão

11/06/2015 16:51:29
Pode ser Pepsi na NBA?

24/04/2015 16:52:15
H2Coco lança mix com café

17/04/2015 12:55:19
Starbucks aposta em delivery

24/03/2015 11:49:58
Imposto tira gás da FEMSA

16/12/2014 15:33:52
Vita Coco quer reinar na China

20/10/2014 18:19:05
MacTangerina no cardápio

02/10/2014 14:29:13
Exportações barradas

02/07/2014 11:44:03
Rótulos da discórdia

26/06/2014 11:19:54
De olho na dieta britânica

25/06/2014 11:19:54
Nova Coca-cola chega à Europa

11/06/2014 10:54:40
Ampliando mercado

23/05/2014 10:44:00
A batalha do açúcar

07/05/2014 18:07:00
Aguá pra inglês beber

06/05/2014 12:15:00
Salvação na embalagem

16/04/2014 12:11:00
O novo energético da Coca

04/04/2014 11:21:00
TV desligada

26/03/2014 15:21:00
Laranja fora da TV

18/03/2014 12:18:00
O futuro dos energéticos

13/03/2014 17:11:00
Pepsi em cápsulas

11/03/2014 13:35:00
Pepsi aposta no México

27/01/2014 13:47:00
De olho na caxinha

24/01/2014 16:43:00
Vendas não reagem nos EUA

19/12/2013 17:12:00
Dubai sem sede

18/10/2013 12:00:00
Mapa do varejo

23/09/2013 14:48:00
Suco tenta reagir nos EUA

17/09/2013 14:02:00
Suco aposta na TV

12/09/2013 12:29:00
Laranjas da África

09/09/2013 15:01:00
Monster quer entrar na Índia

15/08/2013 16:34:00
Frutas perdem espaço

25/07/2013 11:57:00
Tropicana de cara nova

14/06/2013 10:29:00
Nova York contra os sucos

04/06/2013 12:23:00
Purity mostra suas armas

06/05/2013 12:20:00
Portas abertas para a Turquia

26/04/2013 10:39:00
Investimentos à francesa

24/04/2013 11:48:00
Xenergy vai a luta

23/04/2013 12:31:00
Maçã no vermelho

23/04/2013 11:41:00
Surge mais uma gigante

22/04/2013 14:54:00
O que a Arábia quer beber

15/04/2013 16:44:00
Lucros monstruosos

12/04/2013 15:25:00
De roupa nova

25/03/2013 13:00:00
Água no refrigerante

18/03/2013 12:31:00
As bolhas da Honest Tea

13/03/2013 11:49:00
Monster made in Japan

31/01/2013 12:39:00
Sinal verde do CADE

04/01/2013 10:42:00
Gigantes dos refrigerantes registram perdas no mercado

Just-Drink - 01/09/14 - Coca-Cola e Pepsi apresentam os primeiros números de 2014 e mostram queda em suas vendas.

O mercado de refrigerantes passa por um momento complicado. Um cenário que ficou mais evidente na apresentação dos balanços das principais companhias do setor, Coca-Cola e Pepsi. Ambas registraram perdas em seus números. No caso da Coca, os resultados do primeiro semestre, mostraram que o lucro líquido caiu 8$, fechando em US$ 1,62 bilhão. A receita liquida ficou em US$ 10,58 bilhões, queda de 4%. A empresa ainda amargou queda de 1% no lucro peracional, perdendo US$ 2,38 bilhões. Ainda que com resultados um pouco melhores, o cenário da Pepsi também não é muito animador. 
No primeiro semestre o lucro líquido do grupo teve aumento de 3,3%, chegando em U$ 3.21 bilhões. As vendas nos seis meses até 14 de junho se mantiveram estáveis, em US$ 29.52 bilhões. Entretanto, os lucros líquidos do segundo quadrimestre tiveram queda de 2%, resultando em um valor de US$ 1,98 bilhões. As vendas nos três meses até 14 de junho também se mantiveram praticamente estagnadas, somando um valor de US$ 19,9 bilhões, avanço de 0,5%.
Apesar dos resultados, o CEO da Coca-Cola Muhtar Kent, afirmou estar confiante no mercado e garantiu que as empresa "ainda tem mais trabalho a fazer" depois dos números. "Apesar do lento e contínuo crescimento econômico global, a indústria de bebidas continua vibrante”, finalizou.
O tom otimista também foi mantido pela CEO da PepsiCO, Indra Nooyi. A companhhia anuniou o aumento de 1% no volume de bebidas em seu segundo trimestre, embora o lucro líquido no período de três meses tenha caído ligeiramente. "Apesar de operar em que continua a ser um ambiente macro desafiador e volátil, estamos entregando, fortes resultados consistentes. Com base nos números do acumulado do ano vamos aumentar a nossa meta para o ano todo de 2014, nossa meta de crescimento é de 8%", afirmou.
"Apesar de operar em que continua a ser um ambiente macro desafiador e volátil, estamos entregando, fortes resultados consistentes. Com base nos números do acumulado do ano vamos aumentar a nossa meta para o ano todo de 2014, nossa meta de crescimento é de 8%", afirmou o presidente e CEO Indra Nooyi.