NOTÍCIAS
DO MERCADO
compartilhar este link
O pior inimigo do greening

04/02/2020 14:55:16
Britânicas anunciam fusão

11/06/2015 16:51:29
Pode ser Pepsi na NBA?

24/04/2015 16:52:15
H2Coco lança mix com café

17/04/2015 12:55:19
Starbucks aposta em delivery

24/03/2015 11:49:58
Imposto tira gás da FEMSA

16/12/2014 15:33:52
Vita Coco quer reinar na China

20/10/2014 18:19:05
MacTangerina no cardápio

02/10/2014 14:29:13
Exportações barradas

02/07/2014 11:44:03
Rótulos da discórdia

26/06/2014 11:19:54
De olho na dieta britânica

25/06/2014 11:19:54
Nova Coca-cola chega à Europa

11/06/2014 10:54:40
Ampliando mercado

23/05/2014 10:44:00
A batalha do açúcar

07/05/2014 18:07:00
Aguá pra inglês beber

06/05/2014 12:15:00
Salvação na embalagem

16/04/2014 12:11:00
O novo energético da Coca

04/04/2014 11:21:00
TV desligada

26/03/2014 15:21:00
Laranja fora da TV

18/03/2014 12:18:00
O futuro dos energéticos

13/03/2014 17:11:00
Pepsi em cápsulas

11/03/2014 13:35:00
Pepsi aposta no México

27/01/2014 13:47:00
De olho na caxinha

24/01/2014 16:43:00
Vendas não reagem nos EUA

19/12/2013 17:12:00
Dubai sem sede

18/10/2013 12:00:00
Mapa do varejo

23/09/2013 14:48:00
Suco tenta reagir nos EUA

17/09/2013 14:02:00
Suco aposta na TV

12/09/2013 12:29:00
Laranjas da África

09/09/2013 15:01:00
Monster quer entrar na Índia

15/08/2013 16:34:00
Frutas perdem espaço

25/07/2013 11:57:00
Tropicana de cara nova

14/06/2013 10:29:00
Nova York contra os sucos

04/06/2013 12:23:00
Purity mostra suas armas

06/05/2013 12:20:00
Portas abertas para a Turquia

26/04/2013 10:39:00
Investimentos à francesa

24/04/2013 11:48:00
Xenergy vai a luta

23/04/2013 12:31:00
Maçã no vermelho

23/04/2013 11:41:00
Surge mais uma gigante

22/04/2013 14:54:00
O que a Arábia quer beber

15/04/2013 16:44:00
Lucros monstruosos

12/04/2013 15:25:00
De roupa nova

25/03/2013 13:00:00
Água no refrigerante

18/03/2013 12:31:00
As bolhas da Honest Tea

13/03/2013 11:49:00
Monster made in Japan

31/01/2013 12:39:00
Sinal verde do CADE

04/01/2013 10:42:00
Leite deve manter reinado na próxima década na Europa

Foodbev.com - 10/12/2014 - Expectativa é que demanda aumente em 12 milhões de toneladas em dez anos

A Comissão da União Europeia e a Associação Europeia de Produtos Lácteos preveem um futuro favorável para o setor leiteiro europeu. A Comissão Europeia apresentou em 5 de dezembro de 2014 as suas perspectivas para os mercados agrícolas para o período 2014-2024. A Comissão prevê que as entregas de leite da UE vão aumentar em 12 milhões de toneladas em 10 anos, até 158 milhões de toneladas em 2024. 

Os preços deverão manter-se firmes em cerca de  €350 por tonelada. A previsão é de que as importações mundiais aumentem 2,1% ao ano. Em sua apresentação, a Comissão confirmou que "espera-se que a UE seja o principal fornecedor de lácteos para atender à demanda global".

A Associação Europeia de Lácteos partilha da opinião da Comissão sobre esta perspectiva positiva. O setor leiteiro da UE, os produtores de leite e processadores são bastante competitivos no mercado mundial. O setor está bem posicionado e é capaz de agregar valor a seus produtos na Europa e além.

A entidade reconhece que os mercados dos produtos lácteos estão atualmente sob pressão por várias razões. O mercado mundial entrou em outra recessão cíclica, agravada pelo impacto da proibição russa das importações de produtos lácteos da UE. Mas as previsões da Comissão são de que os mercados vão se recuperar inevitavelmente.

Comentando sobre a situação atual Alexander Anton, secretário-geral da Associação disse: "Depois de 30 anos de gestão do mercado público e 10 anos de um esforço político e econômico unimos forçar para tornar o setor leiteiro europeu competitivo a nível da UE e nos níveis globais. Ernst & Young , em seu estudo independente encomendado pela Comissão Europeia em Setembro de 2013, concluiu que não eram necessários novos instrumentos de mercado para os produtos lácteos e que qualquer gestão de suprimentos simplesmente não iria funcionar na UE, porque outros produtos iriam preencher a lacuna que seria criada."

Os processadores de lácteos da UE terão que assumir suas responsabilidades para contribuir com essa retomada do mercado. "Os investimentos de mais de € 5 bilhões nos últimos dois anos nas capacidades de processamento de leite na UE mostram claramente que acreditamos em um futuro positivo do setor leiteiro europeu", disse Anton .

"Esta perspectiva positiva também é compartilhada por todos os especialistas em leite, incluindo a Comissão Europeia", acrescentou Anton "para citar a instituição da União Europeia, o leite é e continuará a ser o ouro branco na próxima década."